A jornalista Daniela Kopsch, 28, nunca gastou seu dinheiro com roupas caras, mas notava que sempre que chegava o fim do mês, não sobrava dinheiro para fazer o que queria, como cursos e viagens. Foi então que notou que as compras “baratinhas” em lojas fast fashion representavam um furo no seu orçamento, pois acabava comprando em maior quantidade coisas que não tinham valor para ela. Ela reavaliou suas escolhas, e foi assim que nasceu a ideia do blog Less Is the New Black, ou “Menos É o Novo Preto” na tradução para o português.

Daniela se propôs o desafio de ficar um ano sem comprar nada, e ainda passar esse período com apenas 50 peças no armário. A blogueira fez uma faxina, doou metade das roupas que não queria mais e a outra metade está vendendo em bazares. Hoje, tudo o que tem cabe em uma mala média de viagem.

Divulgação

Créditos: Divulgação

A jornalista Daniela Kopsch, criadora do blog Less Is the New Black

Na entrevista a seguir, ela conta como a mudança facilitou a vida dela e como descobriu que é possível, sim, viver com menos!

De onde veio o impulso para se livrar de grande parte das roupas do seu armário? 

Quando decidi mudar minha relação com o consumo, a primeira coisa que eu fiz foi me livrar de 80% das minhas coisas. Percebi que eu não precisava de tanta coisa, já que a maioria ficava esquecida no guarda-roupa. Eu nunca comprei peças muito caras, mas por causa disso acabava comprando em maior quantidade, que é um dos problemas da cultura do fast fashion. Quando fiz as contas, percebi que as "compras baratinhas" representavam um rombo enorme no meu orçamento. Ou seja, estava gastando o meu dinheiro com coisas que não tinham valor para mim, afinal, quando abria o meu guarda roupa a sensação é sempre de não ter nada para vestir. Por outro lado, faltava dinheiro para as coisas que eu realmente queria fazer, como viagens e cursos. Ter essa consciência me fez reavaliar minhas escolhas e decidi criar um desafio de passar um ano sem comprar roupas e passar esse período com apenas 50 peças no armário. Hoje, meu guarda-roupa cabe inteirinho na minha mala média. Muitas pessoas me perguntam se é difícil me vestir todo dia só com essas peças, mas a verdade é que reduzir o guarda-roupa só facilitou a minha vida. Me visto mais rápido e me sinto mais criativa nas combinações. Posto as fotos dos looks diários que crio com as 50 peças para me estimular a seguir em frente e mostrar que é possível, sim, viver com menos.

Divulgação

Créditos: Divulgação

Algumas ideias de looks montados pela blogueira com uma camiseta branca

Você notou mudanças em outros aspectos da sua vida? Que mudanças foram essas?

Muitas. Quando a gente muda um hábito na vida, percebe que consegue mudar muitos outros. É um sentimento de poder muito libertador. O consumo está ligado a várias coisas na vida e com o tempo essa percepção fica mais clara. Por exemplo, passei a ficar menos conectada. Nossos smartphones são outro vício que drena nossa energia e nosso tempo. E, assim como limitei minhas compras, passei a limitar também meu tempo online. A descoberta de que a maioria das coisas boas na vida são de graça me fez substituir shoppings por parques, livrarias por bibliotecas, academia por corrida ao ar livre. Todo dia é um aprendizado.

Que dica você daria às mulheres que gostam de estar na moda, mas não querem gastar muito?

Aprendi que gostar de moda não significa ser vítima dela. Para quem quer seguir um caminho mais livre, eu tenho dois conselhos: consumo consciente e autoconhecimento. Os dois exigem esforço. O primeiro significa parar de comprar por impulso e se perguntar se você precisa mesmo disso, qual a origem desse produto, qual a durabilidade e se a compra realmente vale a pena. O autoconhecimento tem a ver com o seu gosto pessoal. Analise o que você já tem, o que você mais usa e o que você nem tocou no último ano. Existem coisas que achamos bonitas, mas nem por isso servem para nós. Essa consciência vai ajudar a evitar roubadas e sentir-se melhor com as próprias roupas.

Se você pudesse escolher cinco peças-chave para qualquer tipo de ocasião, quais seriam?

Acho que não existem peças must have (do inglês “tem que ter”). Cada pessoa tem um estilo de vida e um gosto pessoal único. Por isso, é importante se conhecer e saber o que funciona pra você. Pra mim, as cinco peças indispensáveis são: vestido floral, vestido preto, calça jeans, blusa listrada e jaqueta de couro.

Divulgação

Créditos: Divulgação

Essas são algumas das 50 peças que compõem o armário da blogueira

O que você aprendeu  desde que começou o blog?

A lição que eu estou aprendendo e quero compartilhar no blog é que você pode viver com muito menos. Eu me livrei de 80% do meu guarda-roupa e nunca me senti tão bem. O número de peças com as quais você vai escolher viver é totalmente pessoal. Tem gente que acha 50 muita coisa e vive com bem menos, tem gente que acha impossível ficar só 50. Você pode ter 10 ou 100 peças de roupas, o número não importa tanto desde que você reduza o seu consumo e aprenda a viver melhor com o que tem.